quarta-feira, 9 de setembro de 2015

FRANÇA - PARIS


Ao final de um mês morando em Londres continuei meu tour pela Europa, dessa vez fechei com a Contiki – uma agência de turismo australiana que em um próximo post eu detalho como funciona,  mas resumidamente vamos de ônibus de um lugar para o outro e dormimos em hostels, acampamentos, trailers, hotéis etc.

O ponto de encontro do grupo foi num hotel em Londres, fiz o check-in e fui para meu quarto que estava uma bagunça e com banheiro molhado, era compartilhado com uma australiana e ela não estava, aproveitei para dormir um pouco e em seguida fui para a reunião que informariam os horários de saída no dia seguinte.


Assim que terminou a reunião eu estava morrendo de vontade de comer comida japonesa, já que fazia mais de um mês que não sabia o que era sushi e próximo do meu hotel tinha um restaurante (Yo Sushi), comprei dez fatias de sashimi e paguei dez pounds (aproximadamente 40,00) uma fortuna porém foram super bem gastos, como a viagem era longa até Paris, passei na Waistrose e comprei alguns snacks e fui dormir.



Na manhã seguinte, fizemos a travessia entre a Inglaterra e a França por balsa e ela é gigante, com dois andares, lojas, restaurante, sala de games, poker, quase um "mini" cruzeiro, comi um american breakfast, com bacon e ovos e depois de oito horas de viagem, que foram super tranquilos porque tinham algumas paradas e íamos conversando, chegamos a Paris.

Nos hospedamos no Ibis Budget, o quarto era super pequeno e o banheiro parecida uma cabine de avião, sem contar que a ducha não ficava em cima da cabeça, era apenas um "chuveirinho", bem estranho a princípio, tomei um banho rápido e fomos jantar ao lado do hotel. A comida estava ótima principalmente depois de ter passado um mês comendo super mal em Londres.



Fizemos um city tour noturno e no meu grupo eram em média trinta australianos, cinco canadenses, uma americana e eu brasileira, a única que a língua nativa não era inglês, a princípio fiquei receosa, principalmente com os sotaques e gírias que eram diferentes mas depois fui me acostumando.

Paramos em um restaurante para tomar champanhe que é deliciosa e bem diferente da que tomo no Brasil não tem gosto de álcool e é bem leve e comer escargot, que à primeira vista é nojento mas que tem gosto de cogumelo, nossa última parada foi TORRE EIFFEL, mais um daqueles momentos incríveis que as palavras nunca são suficientes para expressar o que senti, ela estava toda iluminada MARAVILHOSA, sei que tirei mil fotos e depois fui sentar na grama para assistir o show de iluminação, nisso um ucraniano que estava sentado ao meu lado começou a puxar assunto e ficamos conversando, acabamos voltando com o grupo e o metrô é muito lotado e ruim, uma das meninas que estavam com a gente teve o celular furtado lá dentro.

Como teríamos apenas um dia inteiro em Paris, fiz um super cronograma para que desse tempo de conhecer tudo que eu queria, então acordei às 8h10 tomei café e às 9h00 o coach nos deixou no centro, tirei algumas fotos no Arco do Triunfo e depois caminhei pela Champs Elysees, rua mais famosa e cara de Paris, passei pela praça da Concordia e depois um jardim até chegar ao Louvre, chegando lá o cartão de memória da minha câmera deu problema e perdi umas 300 fotos, inclusive todas de Paris a noite e algumas de Londres. Como estudei história da arte estava muito ansiosa pelo Louvre, então paguei 12 euros e em um próximo post conto todos os detalhes, mas saibam que lá é sensacional e gigante. Em frente ao museu ficam muitos ambulantes vendendo chaveirinhos, fui perguntar o preço e ele disse que 1 chaveiro era 5 euros, nisso eu disse WHAAAT?? This is very expensive (isso é muito caro) ele disse que faria 5 chaveiros por 1 euro, eles são super espertos então você tem que pechinchar e questionar a todo momento.



Depois da maratona para conhecer a maior parte do museu fui para os fundos porque lá tem a ponte onde ficavam os cadeados do amor (Hoje foram retirados), passei no comércio para comprar meu globo de neve e fiquei procurando um wi-fi para tentar encontrar meu amigo francês que conheci em Praga, encontrei um restaurante de crepe e escolhi um de Nutella enquanto combinava como iríamos nos encontrar.

Depois de almoçar ele me encontrou e quando percebi tinha esquecido minhas compras no restaurante, voltei correndo e o garçom tinha deixado tudo guardado então peguei as sacolas e parti para o tour guiado.


Continuo contando sobre Paris e meu tour particular no próximo post.