quarta-feira, 24 de junho de 2015

ALEMANHA - BERLIN


Estava na ferroviária de Braunschweig e fui de trem até Berlim, a viagem foi super tranquila e durou 3 horas, o problema foi quando cheguei na cidade não conseguia me localizar e o metrô era super complicado com duas linhas circulares (Rings) totalmente diferente das que já vinha visto, tentei pedir ajuda a muitas pessoas porém ninguém falava em inglês, então não conseguia comprar meu ticket nem me localizar, depois de ficar muito tempo rodando fui descobrir como funciona e vou tentar explicar por aqui para que ninguém passe o mesmo perrengue que eu rs.


O metro é chamado de U-Bahn e o trem S-Bahn eles são totalmente interligados e não possuem catracas, primeiramente você compra um bilhete nas máquinas (Existem bilhetes unitários, diários, semanais e mensais,você escolhe o que se adequa melhor) depois que comprou o bilhete é preciso validá-los em uma maquininha amarela ou vermelha que ficam nas estações, se você esquecer e o fiscal ver você tem que pagar multa. No meu caso peguei um bilhete para 3 dias válidos para zona AB que atende bem aos turistas(existe zona A, B e C, sendo a A mais próxima do centro e a C a mais afastada)

Acabei sendo salva por um senhorzinho alemão que me levou até meu hostel através de mimicas. Como cheguei antes do horário do check-in deixei minhas malas na recepção e fui dar uma volta, comi um xsalada numa lanchonete bem simpática e tomei um refrigerante que só tinha gás. Me perdi novamente mas consegui visitar o prédio da Sony, bem moderno e com uma arquitetura incrível, o portão de Brandesburgo que é um símbolo da Alemanha e o Parlamento.



Fiquei hospedada no Hostel 2A, um pouco afastado do centro porém muito próximo ao metrô, quarto compartilhado com 10 pessoas mas super tranquilo, limpo e bonito. Durante a noite fiquei tomando cerveja com o pessoal do hostel e o treinamento intensivo do inglês começou, porque todo mundo falava ao mesmo tempo e rápido de mais, porém consegui acompanhar a conversa. Quando era uma hora da manhã decidimos ir pra balada, a escolhida foi a Matrix, uma balada em baixo de uma ponte perto do centro, paguei uns 5 euros e os preços eram acessíveis,estava abarrotada de turistas, acabei conhecendo alguns hermanos e na hora de ir embora eles não sabiam voltar pro hotel, ajudei os coitados e fui dormir.

Dia seguinte tomei meu café da manhã (coca e salgadinho) peguei o trem e fui pro centro, primeiro lugar que fui visitar foi o memorial do holocausto que foi construído para vítimas judias do holocausto, é um lugar muito bonito que são vários blocos de diferentes tamanhos em que alguns você sobe em cima e outros são maiores que você, o chão é desnivelado e ocupa um quarteirão inteiro, depois fui ao check point Charlie que era local de travessia entre a Alemanha capitalista e a comunista e depois na topografia ao terror, local onde tinha uma base nazista que foi bombardeada, então só existe algumas ruínas e um museu.

Almocei um Currywust incrível, fui em alguns pontos do muro de Berlim e depois passei no memorial do muro, andei muito, voltei bem cansada comi um miojinho enquanto conversava com alguns brasileiros, dessa vez decidi que queria ir sozinha pra balada, então tomei meu banho e fui pra Weekend, se preparem pra aventura hahaha.

Faltando duas estações para chegar, o trem seria recolhido e a linha não funcionaria mais, então fiquei seguindo um trio que iria pra mesma estação, encontramos um ônibus que faria o trajeto e cheguei no ponto certo. Não achava de forma alguma o prédio da balada, depois de rodar uns 15 minutos encontrei o lugar, entrei sem maiores problemas eis que na hora de pagar (12 euros) eu dei 50, ela me deu o troco eu peguei o elevador pra entrar na balada e quando estava subindo vi que ela me devolveu apenas 8 euros e que estavam faltando 30, desci para falar do troco errado e ela disse que não poderia fazer nada porque eu deveria ter cobrado na hora, eu fiquei revoltada!!


 Nisso começamos a discutir e eu perdi totalmente o clima de ficar lá, então fui perguntar como fazia para ir embora já que os trens não estavam mais funcionando e ela foi absurdamente grossa, nisso apareceu segurança, promoter e mais meio mundo para ver o que estava acontecendo, até que comecei a conversar com o promoter e ele pediu desculpas umas mil vezes, disse que ninguém  a aguentava mais e falou que ela não iria estragar a noite, então ele me levou pra conhecer a balada e ficamos conversando até as seis da manhã e até hoje em dia ele é meu amigo e já fez vips pra vários amigos meus brasileiros que foram pras baladas da Alemanha e acabou que o táxi foi por conta da casa kkkk. 

Cheguei as 7 no hostel tomei um banho e fui direto para a estação de trens para o próximo destino: Praga!

Algumas observações:

- Metro não é bonito, muitas vezes pichados e raramente com escadas rolantes.
- Cerveja é mais barato que água.
- Alemães tem costume de tomar água com gás, então quando você pede ao atendente água geralmente vem com gás, é um sufoco pedir sem porque o nome em alemão é muito díficil (ohne kohlensaure), minha dica é: ande com uma garrafa vazia sem gás na bolsa e peça uma igual, porque se não toda hora você vai ter uma surpresa gasosa principalmente para aquelas pessoas que não gostam como eu.