quarta-feira, 11 de novembro de 2015

FRANÇA - PARIS PT. II

Continuando meu tour, encontrei meu amigo francês fomos dar uma volta pela cidade, algumas ruas não possuem faixas  e tem muitos carros na rua, então o trânsito é uma loucura, fomos novamente para Torre Eiffel porque queria tirar algumas fotos pela manhã, passamos pela Catedral de Notre Dame, sentamos num pub e tomamos a cerveja mais cara da Europa, 24 euros nesse copo.
Quando eu estava voltando para o hotel um barbeiro deu uma raladinha no carro do Nate e então fiquei sabendo como eles agem em casos assim, é bem interessante, todos os carros na França são obrigados a terem seguro e dentro deles tem uma ficha, então cada um que está envolvido na ocorrência preenche seus dados e passa a ficha pro outro, como o inglês dele não era dos melhores o pouco que ele conseguiu me explicar era que não precisava fazer boletim de ocorrência nem nada, eles mandam a ficha pra seguradora e ela se encarrega de resolver tudo, super simples.

Me arrumei para o jantar, reunimos o grupo e fomos na Basílica de Sacré Coeur, nunca subi tanta escada na minha vida mas a vista vale super a pena, tiramos algumas fotos e fomos jantar num restaurante super aconchegante as quais tive minha primeira experiência com patos. De entrada comi scargot novamente, prato principal foi o pato com molho de laranja e purê de batatas e torta de chocolate de sobremesa.




Finalizei minha estadia em Paris com muito sucesso foi tudo incrível e consegui conhecer tudo que eu gostaria, no dia seguinte acordamos cedinho e pegamos o ônibus rumo a Chateau de Cruix.





quarta-feira, 9 de setembro de 2015

FRANÇA - PARIS


Ao final de um mês morando em Londres continuei meu tour pela Europa, dessa vez fechei com a Contiki – uma agência de turismo australiana que em um próximo post eu detalho como funciona,  mas resumidamente vamos de ônibus de um lugar para o outro e dormimos em hostels, acampamentos, trailers, hotéis etc.

O ponto de encontro do grupo foi num hotel em Londres, fiz o check-in e fui para meu quarto que estava uma bagunça e com banheiro molhado, era compartilhado com uma australiana e ela não estava, aproveitei para dormir um pouco e em seguida fui para a reunião que informariam os horários de saída no dia seguinte.


Assim que terminou a reunião eu estava morrendo de vontade de comer comida japonesa, já que fazia mais de um mês que não sabia o que era sushi e próximo do meu hotel tinha um restaurante (Yo Sushi), comprei dez fatias de sashimi e paguei dez pounds (aproximadamente 40,00) uma fortuna porém foram super bem gastos, como a viagem era longa até Paris, passei na Waistrose e comprei alguns snacks e fui dormir.



Na manhã seguinte, fizemos a travessia entre a Inglaterra e a França por balsa e ela é gigante, com dois andares, lojas, restaurante, sala de games, poker, quase um "mini" cruzeiro, comi um american breakfast, com bacon e ovos e depois de oito horas de viagem, que foram super tranquilos porque tinham algumas paradas e íamos conversando, chegamos a Paris.

Nos hospedamos no Ibis Budget, o quarto era super pequeno e o banheiro parecida uma cabine de avião, sem contar que a ducha não ficava em cima da cabeça, era apenas um "chuveirinho", bem estranho a princípio, tomei um banho rápido e fomos jantar ao lado do hotel. A comida estava ótima principalmente depois de ter passado um mês comendo super mal em Londres.



Fizemos um city tour noturno e no meu grupo eram em média trinta australianos, cinco canadenses, uma americana e eu brasileira, a única que a língua nativa não era inglês, a princípio fiquei receosa, principalmente com os sotaques e gírias que eram diferentes mas depois fui me acostumando.

Paramos em um restaurante para tomar champanhe que é deliciosa e bem diferente da que tomo no Brasil não tem gosto de álcool e é bem leve e comer escargot, que à primeira vista é nojento mas que tem gosto de cogumelo, nossa última parada foi TORRE EIFFEL, mais um daqueles momentos incríveis que as palavras nunca são suficientes para expressar o que senti, ela estava toda iluminada MARAVILHOSA, sei que tirei mil fotos e depois fui sentar na grama para assistir o show de iluminação, nisso um ucraniano que estava sentado ao meu lado começou a puxar assunto e ficamos conversando, acabamos voltando com o grupo e o metrô é muito lotado e ruim, uma das meninas que estavam com a gente teve o celular furtado lá dentro.

Como teríamos apenas um dia inteiro em Paris, fiz um super cronograma para que desse tempo de conhecer tudo que eu queria, então acordei às 8h10 tomei café e às 9h00 o coach nos deixou no centro, tirei algumas fotos no Arco do Triunfo e depois caminhei pela Champs Elysees, rua mais famosa e cara de Paris, passei pela praça da Concordia e depois um jardim até chegar ao Louvre, chegando lá o cartão de memória da minha câmera deu problema e perdi umas 300 fotos, inclusive todas de Paris a noite e algumas de Londres. Como estudei história da arte estava muito ansiosa pelo Louvre, então paguei 12 euros e em um próximo post conto todos os detalhes, mas saibam que lá é sensacional e gigante. Em frente ao museu ficam muitos ambulantes vendendo chaveirinhos, fui perguntar o preço e ele disse que 1 chaveiro era 5 euros, nisso eu disse WHAAAT?? This is very expensive (isso é muito caro) ele disse que faria 5 chaveiros por 1 euro, eles são super espertos então você tem que pechinchar e questionar a todo momento.



Depois da maratona para conhecer a maior parte do museu fui para os fundos porque lá tem a ponte onde ficavam os cadeados do amor (Hoje foram retirados), passei no comércio para comprar meu globo de neve e fiquei procurando um wi-fi para tentar encontrar meu amigo francês que conheci em Praga, encontrei um restaurante de crepe e escolhi um de Nutella enquanto combinava como iríamos nos encontrar.

Depois de almoçar ele me encontrou e quando percebi tinha esquecido minhas compras no restaurante, voltei correndo e o garçom tinha deixado tudo guardado então peguei as sacolas e parti para o tour guiado.


Continuo contando sobre Paris e meu tour particular no próximo post.





terça-feira, 28 de julho de 2015

INGLATERRA - LEAVESDEN (HARRY POTTER STUDIOS)

Quem me conhece sabe que sou apaixonada por Harry Potter, cresci assistindo e lendo tudo sobre esse mundo incrível e quando soube que o estúdio onde foram feitas as gravações estariam abertas ao público fiquei louca pra ir.

Comprei o ingresso pelo site da Warner Bros. Studio Tour London - The Making of Harry Potter para uma terça feira a tarde, que seria um dia que não estaria tão lotado e fui para a estação de trem de Lewisham (bairro que eu morava), peguei o DLR para Bank e um trem para Euston,chegando na estação comprei a passagem para Watford Junction por dez euros, e em vinte minutos estava lá, peguei um ônibus que saia direto para o estúdio por dois euros, e em 15 minutos tinha chegado ao estúdio, é importante chegar pelo menos 45 minutos antes do horário marcado para trocar o voucher pelo ingresso com calma.

Esperamos em uma fila ao lado do armário sob as escadas onde o Harry dormia na casa de seus tios, até dar o horário que o tour começaria, passou um filme de introdução e no final do filme a tela subiu e surgiu a porta do salão principal, nessa hora já queria sair correndo, mandar a guia calar a boca e entrar no salão que nem uma malucamas consegui segurar a emoção tirei algumas fotinhos e me comportei que nem uma pessoa civilizada. 

No salão estavam as duas mesas enormes, lindas e maravilhosas que nem os filmes e alguns trajes dos personagens. A guia falou alguns minutos e depois todo o passeio era por conta,uma dica é que aluguem um digital guide, pois assim você pode ir escutando algumas informações e curiosidades durante o percurso.


A sala seguinte era gigantesca, separada por pequenos ambientes dentro dela, tinha uma ala de maquiagem e cabelo, sala do Snape, sala e dormitório da Grifinória, cozinha da Toca, sala do Dumbledore, Cabana do Hagrid, alguns quadros e objetos, sala da Umbridge, Ministério de Magia, efeitos especiais, enfim de tudo, dá pra ficar umas três horas nessa sala tranquilamente, tirei milhares de fotos, li cada plaquinha existente e babei em tudo.



No final da sala vi uma pequena movimentação e fui verificar o que era, até que descobrir que eu poderia voar na vassoura e fazer um vídeo, AAAAAAAAAHHH na hora quase surtei, vou aprender a voar numa vassoura, que EMOÇÃO!! Peguei uma fila rápida tirei foto, fiz o filme, quando fui assistir era EU, toda linda, voando tão bem que poderia jogar no time de Quadribol, comprei o USB com o vídeo e quatro fotos por 40 euros e fui toda feliz para a próxima sala.


O ambiente era externo e a primeira coisa que vi era o carro do Sr. Weasley, ao lado tinha a moto do Hagrid, as peças de xadrex gigante, a ponte do castelo, Nôitibus andante, a lápide do cemitério e a casa dos Dursley, comprei uma cerveja amanteigada (não tinha a frozen que é a melhor) e fique passeando e tirando algumas fotos.



Na sala seguinte tinha vários objetos, como máscaras, roupas, partes de dragões, dementadores, aragogue, algumas relíquias da morte, além de alguns personagens feitos de borracha que eram perfeitos.
Vi também o Dobby e quase roubei ele pra mim, porque ele estava com uma carinha de dó que partiu meu coração.

No final da sala estava a entrada para o Beco Diagonal, me senti uma verdadeira bruxa nerd e queria ficar lá pra sempre fazendo mil compras e nunca mais ir embora, mais uma vez fiquei horas passeando por lá e segui para próxima sala.

Como sou designer a sala seguinte foi muito interessante, pois nela haviam sketches, desenhos técnicos e várias maquetes de papel com diversos cenários dos filmes.

Estava chegando ao final do meu passeio e estava muito orgulhosa de ter segurado as lágrimas, porém nessa última sala eu não me aguentei, com a música tema do Harry eu entro em uma sala escurinha e o Castelo gigantesco na minha frente, todo perfeito e eu realmente me dei conta de onde eu estava, e o que aquilo representava pra mim, as inúmeras vezes que pensei em conhecer aquele lugar a realização de um sonho e onde eu tinha conseguido chegar, eu me acabei de chorar! As pessoas passavam por mim e me achavam uma maluca mas eu não estava nem ai pra ninguém,  fiquei muito tempo lá e curti cada momento que pude, agradeci mil vezes a Deus por ter vivido aquilo, sequei minhas lágrimas e fui para a última sala.


A última sala parecia com a do Sr. Olivaras e tinha o nome de todos os sete mil funcionários que trabalharam em todos os filmes da saga e em seguida tem uma loja com muitas coisas pra comprar. Como eu já tinha comprado várias coisas no parque na Universal em Orlando eu comprei apenas um Guia do Tour em inglês, e fui embora muito cansada mas extremamente feliz :)



sexta-feira, 10 de julho de 2015

REPÚBLICA TCHECA - PRAGA



Cheguei na estação e estava virada da balada, então encostei num canto para esperar o trem e acabei conhecendo uma guatemalteca que estava mochilando também, pela primeira vez o trem atrasou 20 minutos, motivo de revolta para os passageiros.

Quando conseguimos embarcar dormi quase o caminho todo e acordei com aquela cara de derrota do lado de um cara super bonitinho, morri de vergonha, mas tudo bem. Chegando em Praga ficamos perdidas como sempre, mas com aquela sensação incrível de vamos explorar rs, trocamos nossos euros por coroas (1 euro = 25 coroas), compramos os tickets do metrô, que era bem mais simples com apenas três linhas, e fomos para o hostel.


Dessa vez fiquei no Mango, um hostel simples mas com uma localização ótima, meu quarto era compartilhado com apenas dezoito pessoas, no 4º andar e sem elevador, sempre chegava sofrendo até o quarto de tanta escada que tinha. O que gostei muito desse foi a cozinha e a área externa, a decoração era super bonitinha.


Estávamos com muita fome, então almoçamos em um restaurante do lado do hostel que os pedidos eram feitos através do tablet, pedi uma sopa de batata e de sobremesa um doce de maça com sorvete.

Conhecemos a Charlie Bridge e fomos para a parte antiga da cidade, tiramos foto do Relógio Astronômico, Powder Gate e da Igreja Tyn. Lá existem muitas lojinhas de souveniers e bastante lugares com massagens tailandesas, em muitas lojas têm aquários com peixes que comem as peles do pé, fazendo "massagem" e uma limpeza ao mesmo tempo, na praça tem alguns cantores e bandas e a cidade estava lotada. 


Depois de turistar pela city, compramos um macarrão e fomos para o hostel preparar o jantar, acabei esquecendo a cebola e os temperos, e comprei um molho em lata, porém estava sem abridor, até que mochileiros mais experientes sempre andam com abridores de latas na mala, então acabei pegando tudo emprestado e ficou uma delícia.


Nos arrumamos pra ir pra balada e a escolhida foi a Karlovy Layne, maior balada de Praga com dez ambientes e cinco andares, quando estávamos indo dois franceses que estavam no mesmo hostel pararam a gente e acabamos indo juntos pra balada. Acabei encontrando os meninos que conhecemos no aeroporto e o pessoal do hostel de Berlim, a balada é incrível e super indico para todo mundo que for pra lá.
Quando estávamos indo embora vimos o Ice Bar que ficava dentro da balada, como eu queria muito ir pagamos 150 coroas e fomos lá, o bar inteiro é feito de gelo e você recebe um drink no copo de gelo, pra entrar você recebe um casaco que não ajuda muito e você fica 10 minutos lá dentro, a temperatura é oito graus negativos então no começo é suportável mas depois de um tempo o frio é absurdo. Vale muito a experiência, mas não faria de novo porque é frio de mais.

Acabei tomando um banho e sai para comer pizza no café da manhã. Fomos até o castelo de Praga que tem uma vista incrível, comprei o Trdelník que é um doce típico, que parece um pão doce, bem gostoso e fomos almoçar com os meninos pois eles iriam embora, acabei pedindo uma sopa que era horrorosa, parecia água com melecas, não consegui comer. Como não tinha dormido fui dormir e acordei com uma dor de garganta horrível, me entupi de analgésicos e dormi até o dia seguinte. Acordei cedinho fiz meu check out, deixei as malas no hostel e fui dar uma volta. Comi um lanche do Subway de café da manhã, comprei meu globo de neve da República Tcheca, fui conhecer por dentro uma loja de massagem tailandesa e descobri que cobram 600 coroas para os peixes comerem seu pé e fiquei sentada na praça tirando um tempo para fazer nada.


Em Praga existem muitos museus hilários como de máquinas mortíferas, sexo, entre outros, mas não fiz questão de ir em nenhum.
Acabei descendo antes da estação rodoviária e fui caminhando com a minha super mala até que no meio do caminho teve um acidente de carro do meu lado. Optei pelo trem que tinha 40 minutos de conexão entre Praga/Desden e mais uma vez o trem atrasou, então sai correndo e consegui pegar o outro trem por pouco, a viagem até Braunschweig demorou sete horas e o trem parecia as cabines de Hogwarts do Harry Potter.


Praga é um lugar inesquecível, parece uma cidade cenográfica, toda limpa e linda, recomendo a qualquer pessoa. Voltei para Braunschweig para pegar todas minhas malas, fiquei um dia lá comi um churrasco maravilhoso e peguei meu avião rumo a Londres, onde morei por um mês e será o assunto dos meus próximos posts.


quarta-feira, 24 de junho de 2015

ALEMANHA - BERLIN


Estava na ferroviária de Braunschweig e fui de trem até Berlim, a viagem foi super tranquila e durou 3 horas, o problema foi quando cheguei na cidade não conseguia me localizar e o metrô era super complicado com duas linhas circulares (Rings) totalmente diferente das que já vinha visto, tentei pedir ajuda a muitas pessoas porém ninguém falava em inglês, então não conseguia comprar meu ticket nem me localizar, depois de ficar muito tempo rodando fui descobrir como funciona e vou tentar explicar por aqui para que ninguém passe o mesmo perrengue que eu rs.


O metro é chamado de U-Bahn e o trem S-Bahn eles são totalmente interligados e não possuem catracas, primeiramente você compra um bilhete nas máquinas (Existem bilhetes unitários, diários, semanais e mensais,você escolhe o que se adequa melhor) depois que comprou o bilhete é preciso validá-los em uma maquininha amarela ou vermelha que ficam nas estações, se você esquecer e o fiscal ver você tem que pagar multa. No meu caso peguei um bilhete para 3 dias válidos para zona AB que atende bem aos turistas(existe zona A, B e C, sendo a A mais próxima do centro e a C a mais afastada)

Acabei sendo salva por um senhorzinho alemão que me levou até meu hostel através de mimicas. Como cheguei antes do horário do check-in deixei minhas malas na recepção e fui dar uma volta, comi um xsalada numa lanchonete bem simpática e tomei um refrigerante que só tinha gás. Me perdi novamente mas consegui visitar o prédio da Sony, bem moderno e com uma arquitetura incrível, o portão de Brandesburgo que é um símbolo da Alemanha e o Parlamento.



Fiquei hospedada no Hostel 2A, um pouco afastado do centro porém muito próximo ao metrô, quarto compartilhado com 10 pessoas mas super tranquilo, limpo e bonito. Durante a noite fiquei tomando cerveja com o pessoal do hostel e o treinamento intensivo do inglês começou, porque todo mundo falava ao mesmo tempo e rápido de mais, porém consegui acompanhar a conversa. Quando era uma hora da manhã decidimos ir pra balada, a escolhida foi a Matrix, uma balada em baixo de uma ponte perto do centro, paguei uns 5 euros e os preços eram acessíveis,estava abarrotada de turistas, acabei conhecendo alguns hermanos e na hora de ir embora eles não sabiam voltar pro hotel, ajudei os coitados e fui dormir.

Dia seguinte tomei meu café da manhã (coca e salgadinho) peguei o trem e fui pro centro, primeiro lugar que fui visitar foi o memorial do holocausto que foi construído para vítimas judias do holocausto, é um lugar muito bonito que são vários blocos de diferentes tamanhos em que alguns você sobe em cima e outros são maiores que você, o chão é desnivelado e ocupa um quarteirão inteiro, depois fui ao check point Charlie que era local de travessia entre a Alemanha capitalista e a comunista e depois na topografia ao terror, local onde tinha uma base nazista que foi bombardeada, então só existe algumas ruínas e um museu.

Almocei um Currywust incrível, fui em alguns pontos do muro de Berlim e depois passei no memorial do muro, andei muito, voltei bem cansada comi um miojinho enquanto conversava com alguns brasileiros, dessa vez decidi que queria ir sozinha pra balada, então tomei meu banho e fui pra Weekend, se preparem pra aventura hahaha.

Faltando duas estações para chegar, o trem seria recolhido e a linha não funcionaria mais, então fiquei seguindo um trio que iria pra mesma estação, encontramos um ônibus que faria o trajeto e cheguei no ponto certo. Não achava de forma alguma o prédio da balada, depois de rodar uns 15 minutos encontrei o lugar, entrei sem maiores problemas eis que na hora de pagar (12 euros) eu dei 50, ela me deu o troco eu peguei o elevador pra entrar na balada e quando estava subindo vi que ela me devolveu apenas 8 euros e que estavam faltando 30, desci para falar do troco errado e ela disse que não poderia fazer nada porque eu deveria ter cobrado na hora, eu fiquei revoltada!!


 Nisso começamos a discutir e eu perdi totalmente o clima de ficar lá, então fui perguntar como fazia para ir embora já que os trens não estavam mais funcionando e ela foi absurdamente grossa, nisso apareceu segurança, promoter e mais meio mundo para ver o que estava acontecendo, até que comecei a conversar com o promoter e ele pediu desculpas umas mil vezes, disse que ninguém  a aguentava mais e falou que ela não iria estragar a noite, então ele me levou pra conhecer a balada e ficamos conversando até as seis da manhã e até hoje em dia ele é meu amigo e já fez vips pra vários amigos meus brasileiros que foram pras baladas da Alemanha e acabou que o táxi foi por conta da casa kkkk. 

Cheguei as 7 no hostel tomei um banho e fui direto para a estação de trens para o próximo destino: Praga!

Algumas observações:

- Metro não é bonito, muitas vezes pichados e raramente com escadas rolantes.
- Cerveja é mais barato que água.
- Alemães tem costume de tomar água com gás, então quando você pede ao atendente água geralmente vem com gás, é um sufoco pedir sem porque o nome em alemão é muito díficil (ohne kohlensaure), minha dica é: ande com uma garrafa vazia sem gás na bolsa e peça uma igual, porque se não toda hora você vai ter uma surpresa gasosa principalmente para aquelas pessoas que não gostam como eu.

quinta-feira, 7 de maio de 2015

ALEMANHA - BRAUNSCHWEIG

O post de hoje será sobre a primeira parte da minha Eurotrip que começou na Alemanha, nessa viagem conheci 13 países e 33 cidades. 
Fui para o aeroporto de Guarulhos onde faria a conexão em Amsterdam e iria para Hannover, fiz o check-in, despachei as malas e sentei ao lado do portão de embarque para aguardar sermos chamados até que devido a falha mecânica na aeronave ficamos uma hora esperando, então como não tinha o que fazer, juntamos uma galerinha compramos uma cerveja e ficamos conversando até a hora do embarque.
Lanche do aeroporto

Entrei no avião e ao meu lado estava um casal que mora em Foz do Iguaçu, ficamos conversando até a hora que chegou o jantar, voei de KLM e adorei o serviço, as refeições são boas e a qualquer momento tem água, refrigerante, bolachas e doces disponíveis. Consegui dormir um pouco e devido ao atraso cheguei com 30 minutos para fazer a conexão. Como o embarque era bem longe de onde eu estava e a fila da alfândega estava enorme, acabei pendendo o vôo, sendo assim fui até o guichê de auto atendimento e uma funcionária acabou me colocando em outro vôo que saia em duas horas, ganhei um vale de cinquenta euros para qualquer vôo KLM e mais dez euros pra comer no aeroporto, comprei um folhado de alguma coisa picante que era horrível, um iogurte, chocolate e cookies, acabei sendo interprete para um pessoal que não falava inglês e todo mundo foi embora de barriga cheia.

Melhor sorvete da vida

O outro avião era muito pequeno e sentei com um cara que era igualzinho o vilão de areia do homem aranha kkk, o avião teve muita turbulência e fiquei morrendo de medo, cheguei no aeroporto e minha mala veio toda riscada, quando encontrei meu primo e ele disse que se eu quissesse reclamar, eles me dariam uma mala nova (igualzinho no Brasil hahahaha) preferi não abrir a ocorrência e fomos de Hannover para Braunschweig de carro. Chegamos no apartamento, tinha um cartaz de boas vindas feito pela minha prima e os dois filhinhos dela, tomei um banho rápido e fomos jantar.

O restaurante escolhido era um mexicano, pedimos um prato que vinha um pouco de tudo e tomei o suco de maça (muito comum na Alemanha), comecei a reparar nas diferenças de segurança, enquanto estávamos comendo as crianças ficavam brincando do lado de fora do restaurante e era super tranquilo.
Currywust


No dia seguinte fomos de bike até a Volks onde meu primo trabalha,e a bike é prioridade entre pedestres e carros, inclusive em todo lugar tem semáforos de bike e é comum vermos carrinhos acoplados para levar as crianças, além disso é obrigatório o uso de capacetes em todos, passamos também no mercado e almoçamos. Durante a tarde fomos conhecer a cidade e fiquei encantada, tudo é lindo e limpo, sentamos na praça pra tomar um sorvete maravilhoso de Raffaelo e depois fomos para o Occa Cabana. 


Lá é um bar com algumas tendas e a decoração é baseada na praia de Copacabana, sendo assim o chão é todo de areia, meus primos encontraram alguns amigos brasileiros e ficamos tomando cerveja, depois fui pra minha primeira balada na Europa, me perdi com o GPS e acabei indo em uma chamada Fever 42, a balada foi indicação e ela tem três ambientes e é lotada de gente bonita o problema foi a socialização, pois ninguém falava inglês.


 A cidra de maça é bastante comum nas baladas de lá, então fui provar uma e acabei ficando amigo da única pessoa que falava inglês naquele lugar, um paquistanes nascido na faixa de gaza, olha que beleza hahahaha, enfim ele era muito legal e ficamos conversando um bom tempo.

No dia seguinte fomos conhecer as pequenas cidades, a primeira foi Quedlinburg, fizemos um passeio de trenzinho bem de turista, almoçamos currywurst (salsicha típica), tomamos um sorvete e fomos conhecer os comércios e igrejas, um lugar super aconchegante e lindo, voltando a cidade estava tendo jogo do Braunschweig então sentamos em um barzinho e assistimos tomando uma cervejinha depois acabei indo no shopping comprar um condicionador e paguei 20 euros, uma verdadeira fortuna.

Jantei no restaurante Vapiano uma pizza inteirinha pra mim e fui pra próxima balada, acabei indo em uma que tinha procurado na noite anterior mas não encontrei,isso porque a entrada era muito escondida e passei despercebida, não gostei muito dessa porque era pequena e e tava tocando umas músicas muito ruins.

Fomos conhecer também a cidade chamada Celle, todas as cidades são bem parecidas e possuem o mesmo estilo de arquitetura, lá eu tomei o melhor sorvete de tooooda minha vida, ele era incrível, o formato dele era de lasanha e o sabor sensacional. Nessa noite fiz as minhas malas pois no dia seguinte iria pra Berlim.

Assunto que será do meu próximo post. PROST!




sexta-feira, 3 de abril de 2015

HOLANDA - AMSTERDAM

Essa semana foi um pouco difícil, pois perdi um amigo que conheci na viagem para Europa, mochileiro com 23 anos só queria conhecer o mundo assim como eu, então nada mais justo que o próximo post ser sobre o lugar que passamos mais tempo juntos: Amsterdam.


Em uma parte da viagem acabei fazendo com um grupo de australianos, com uma agência chamada Contiki (depois faço um post explicando sobre eles) estávamos vindo de Rhine Valley na Alemanha e nossa última parada seria na Holanda.

Almocei Burger King pois era o que o meu dinheiro permitia pagar no momento e depois fomos para uma loja que confeccionam Clogs. Para quem não sabe, são sapatos típicos feitos de madeira que são barulhentos mas bem confortáveis, vimos o artesão fazer um e depois quem quis comprou alguns pares de sapatos.


Assim que chegamos na cidade fomos andar de bicicleta para conhecer tudo e depois fomos para o hotel, dormi pela tarde pois estava absurdamente cansada e depois me arrumei para jantar no hotel.


Fomos para o Red Light District, lugar onde ficam as "moças da noite" de biquinis se exibindo em portas de vidro, se a cortina estiver fechada elas estão trabalhando. Em uma mesma esquina tem um sex shop, um bar, uma escola infantil e uma igreja, o que torna o lugar bem interessante e diferente.


A primeira parada da noite começou quente, nós fomos para a Casa Rosso,local de show erótico com direito a strip e coisas que nem precisam ser comentadas nesses blog hahahahaha, foi uma das situações que nunca imaginei que passaria na minha vida, mas acabou sendo uma experiência bem legal com direito a dois copos de cerveja. Saindo de lá fomos conhecer as lojas e comércios, têm vários sex shops, estúdios de tattoo, lojas de alucinógenos e bares. 


Começou a chover muito forte então entramos em uma loja de alucinógenos, é muito engraçado porque no cardápio tem diversos tipos de cogumelos com nomes de animais e a sensação que eles passam, então por exemplo se você compra o da borboleta você vai sentir que está voando, além de ter níveis como iniciantes, intermediários e level hard, a atendente passa muitas informações de como manipular e comer o cogumelo, eu como morro de medo dessas coisas e não tive o mínimo interesse passei a vez mas alguns amigos entraram na onda e ficaram "mucho doidos". Saímos de lá e fomos para um bar chamado Players para curtir a noite, acabei me encontrando com um amigo brasileiro e a festa terminou no bar do hotel com todo mundo ensopado por causa da chuva umas seis horas da manhã.



No dia seguinte fui com uma amiga fazer compras, chegamos as nove horas estava tudo fechado então tiramos algumas fotos e esperamos elas abrirem. Acabei comprando um narguile por 10 euros achei barato e algumas lembrancinhas pra família, almoçamos no Mc Donalds e encontramos um amigo pra continuamos passeando, fui conhecer a biblioteca de Amsterdam e achei incrível. Meus amigos decidiram fazer o passeio no canal, eu não estava afim então fiquei vagando pela city e acabei conhecendo um grupo de brasileiros que estavam na Europa pelo ciências sem fronteiras, conversamos um pouco e fui encontrar o pessoal da Contiki para jantarmos em um restaurante chinês, a comida estava maravilhosa com um monte de pratos gourmet que nem sei explica o que eram, destaque para sobremesa que era um empanado de abacaxi com sorvete que achei o máximo mesmo odiando abacaxi.


Saimos do restaurante e mais uma vez fomos pra night a primeira parada foi o coffee shop Bulldogs, lugar famoso entre os turistas com duas partes separadas, uma pra quem fuma e outra não, saimos de lá e fomos para um bar de shots, tinham varias opções como: Harry Potter, Marshmallow, Bubblegum, entre outros, estava tão bom lá que eu e um amigo fomos esquecidos pelo grupo, quando percebemos saímos correndo e fomos para o próximo bar junto ao grupo, devo admitir que os bares grandes são bem legais mais os menores e mais intimistas são melhores.


Esta foi nossa última noite com o grupo inteiro, no dia seguinte a maioria iria embora e junto com o fim da viagem foi o fim do meu dinheiro, tinha comprado minha passagem de volta pro dia oito de outubro e ainda ficaria mais duas noites em Amsterdam sem dinheiro para mais nada, inclusive hospedagem, minhas diárias no hotel tinham acabado e não tinha o que fazer, nesse dia encontrei o Luis, ele estava em outro grupo da Contiki, haviamos nos encontramos em Veneza e na Suiça e quando estava sendo despachada do hotel ele me ofereceu um lugar pra ficar com ele junto com uns amigos, então deixei minhas malas no quarto, ele foi para o passeio dele e eu fui almoçar com uma amiga, comi um kebab depois passei a tarde conversando com um pessoal no hotel e de noite gastei meus últimos euros jantando um temaki. 


Esperei o Luis chegar, nos esprememos cinco em um quarto minusculo, mas deu tudo certo fora a bagunça absurda com a quantidade de malas.

No último dia juntamos as moedas que sobraram e conseguimos comprar pão, salame e queijo passamos o dia inteiro no quarto do hotel conversando, comendo e assistindo televisão pois não tinhamos dinheiro nem pra sair. No dia seguinte meu voo era as 7h00 e o dele as 16h00, pedimos um táxi pelo hotel mas parecia que era clandestino porque o carro era bem antigo e o motorista estranho, chegamos no aeroporto cedinho e como era meu aniverário o Lu me deu uma panqueca e uma corona como presente provisório, porque o real ele me deu alguns meses depois um show que eu sempre fui doida pra assistir e esse foi meu último dia na Europa fim da minha trip em ótima companhia :)